Arquivos do Blog

Winter is Coming: Run The Night 21k 2014

 

 

House of the Wolves

 

Uma Meia Maratona na USP com direito a camiseta manga longa (e curta) com lobos em sua arte. Veja mais no meu site CorridaDeRua.Net

Anúncios

12k Depois do expediente

Ontem fiz um treino bacana (meio truncado, porque pra todo lugar que você anda tem trânsito e semáforos parados) saindo do Parque do Povo, na região da Cidade Jardim, indo para a Cidade Universitária, na USP. Fotos e detalhes do post lá no CorridaDeRua

Energizer Night Race 2014 (São Paulo)

Inscrições abertas para a edição de 2014

 

Corpore anuncia o calendário de corridas de rua para 2014

A Corpore, tradicional organizadora de corridas de rua em São Paulo, que já chegou a ser uma das mais importantes em São Paulo, liberou seu calendário de provas do ano de 2014. Eu já vi calendários maiores, neste ano eles publicaram somente 12 provas até o fim do ano.

Veja mais no post >>>

Corporate Run 10K 2013

Fazia tempo que eu participava dessa prova, quando era do GPA. Esse ano a empresa em que trabalho também tem equipes por lá, e aproveitei para fazer a prova também…

Corporate Run 10k 2013 - Camiseta, número de peito e medalha da prova

Energizer Night Race [Correndo com os amigos]

20130525_200200-001

Largada da Energizer Night Race 10K 2013 – Light the Night!

Eu dei uma boa parada em provas oficiais, visto que ficaram realmente caras e explicitamente de cunho comercial. Mas algumas, quando os amigos nos convidam a participar e quando vale a pena pela vibe, realmente não tem jeito: Temos que ir!

Foi o caso da Energizer 10K 2013, que fiz no último dia 25 de maio. Multa empolgação, frio e galera animada pra fazer os 10K (ou 5K, no caso do meu sobrinho, da Claudia e da Lucia) em uma noite fria e iluminada na Cidade Universitária (A meca dos corredores de rua aos sábados).

Sem contar que pela manhã eu fui treinar com o Felipe Martins na USP, às 7 da manhã. Fizemos 8K para manter o treino sabático em dia. À tarde, aproveitei para tirar uma soneca, foi quando minha mãe me acordou às 17:15 dizendo que o Daniel (Meu sobrinho) estava perguntando que horas iríamos sair. Então pensei: “Putz, acho que dormi mais do que devia, hehehe”. Mas ainda estava no horário. Primeira coisa que fazemos ao acordar? Pegar o celular, claro! E vi uma ligação perdida: Era a Lucia. Como ela também estava inscrita na prova e mora aqui perto de casa, pensei: “Acho que ela vai sair daqui da região mesmo”.  Abri as mensagens e tinha um whatsapp e um sms dela perguntando se nós (Eu, o Daniel e o Fernando [meu outro sobrinho]) iríamos daqui.

Eu já estava um pouco mais acordado (menos zumbi) e respondi para todos nos encontrarmos às 18 lá na estação primavera.

Todos à postos às 18:10 (meu sobrinho demora para fazer o make-up, hahaha), partimos para o evento. Chegamos por volta de 19 horas, e já estava bem movimentado o recinto [Raia da USP].

Lá ficamos perto do mural onde a galera estava deixando o seu recado com tintas que brilham sob luz fluorescente. Muito legal!

Os amigos foram chegando, os amigos dos amigos também foram chegando, e quando vimos estávamos com um grupinho ad hoc de 12 corredores unidos pela paixão pelo esporte. Ainda encontrei outros colegas de corrida e dei um pulo na assessoria do GPA Clube, antigo clube de corrida do qual eu fazia parte.

Conversamos tanto e tiramos tantas fotos que perdemos a hora para a largada oficial. Mas quem se importa? Afinal estamos lá para correr. Quem quer algum prêmio tem que sair na elite.

Ad Hoc Running Team - Energizer Night Race 10K 2013

Ad Hoc Running Team – Energizer Night Race 10K 2013

Foi aí que saímos. O tempo estava muito bom, legal e com muita gente animada. Saímos pelo primeiro KM e seguimos pela raia. Parece até que eu estava treinando no percurso de sábado, rs.

Após a praça do cavalo subimos um pouco mais e voltamos, e depois o que se viu foi uma série de entradas à esquerda e balões para que o percurso completasse 10K (Os 5K foram realizados praticamente pela raia da USP). Mas eu gostei, não havia tanta música quanto os cartazes e as propagandas anunciavam, mas a animação da galera compensava tudo. Terminei em um bom tempo para que não está treinando para fazer velocidade, em 48 minutos. Fui quase um dos últimos do grupo a chegar, pois grande parte dos amigos e conhecidos que estavam por lá fizeram 5k.

Fiquei muito feliz também pelo Daniel (mesmo lesionado) ter participado da prova. A Lucia ter voltado a ter contato comigo depois de um intenso inverno entre nossas conversas, e a Claudia ter baixado o tempo dela, além da Aline, que correu com o namorado e nos prometeu que ele também vai começar a correr nos próximos meses.

A corrida boa é essa: A que une pessoas, promove reencontros, cria auto-estima e distribui sorrisos por todos os caminhos. Destas eu quero participar sempre, evito aquelas em que levamos cotoveladas, ou que se compara o melhor tênis ou qual o kit ultra-master-mega-vip foi comprado para a prova.

Número de peito

EcoRun SP 10K 2012 – A Day to remember [Post Atrasadíssimo]

Opa! Não era qualquer corrida: Essa aí foi a que começou todo o processo de Duathlon Urbano em corridas de rua!
Domingo, 6:15am. Passei na casa da Aline para irmos à mais uma prova na Cidade Universitária:A Eco Run 10K. Essa foi especial, pois tivemos a ideia de sairmos da Vila Olímpia de bike para chegar à cidade universitária. Eu até sairia de Interlagos mesmo, apesar da distância considerável para a USP (Em torno de 30KM), mas era a primeira vez que a Aline estava me acompanhando para uma prova oficial.
Chegando lá, desmontamos a bike do carro e partimos para a arena do evento. da VO (Vila Olímpia  para a Cidade Universitária (USP) são cerca de 5KM, então não dá nem pra cansar, serviu como um aquecimento mesmo.
Utilizamos o bicicletário da estação de trem, que disponibiliza uma quantidade razoável de lugares, e pudemos deixar as magrelas com tranquilidade e segurança.
Bem, agora faltava chegar no evento. A organização foi bem próxima a raia olímpica, portanto de fácil acesso para quem chegava pela Ciclovia ou áreas próximas.
Chegando lá fui recebido pela Patrícia Melendi, que cordialmente me concedeu o kit para esta prova.

O estante da TetraPak bombou nessa edição da EcoRun – Agradecimentos pela participação na prova =]

Ah, também tem aquela máquina que tira foto dos corredores e envia por e-mail. Tá certo que só fui receber quase um mês depois, mas chegou! =P

A limitação de atletas no evento por imposição da Administração da USP fez com que a organização tenha ocorrido sem problemas, com tempo hábil para retirada do Kit, preparação pré-prova, aquecimento, fotos e tudo mais. Não havia tumulto e a área de concentração estava bem aprazível.
Foi dada a largada. A Aline saiu comigo, mas eu avisei para que ela não tente acompanhar o ritmo dos corredores da largada, que frequentemente impõem um ritmo forte no início e depois acabam reduzindo no meio da prova. Este é o pior ritmo que se pode fazer em uma corrida: O regressivo. O ideal é que o ritmo seja sempre constante, ou progressivo (quando você inicia a corrida em um ritmo mais leve e vai aumentando a velocidade conforme o andamento da prova).
OPA [GANGNAM STYLE] ¬¬’ >>> Pausa para a Foto!

E lá fomos nós: a Aline nos 5K e eu nos 10K


Eu tava bem condicionado naquele dia, mas resolvi ir bem na manha, pois depois da prova tinha mais 40KM de Bike! Insano!!!
Como toda prova na USP, é impossível participar e não encontrarmos amigos pela concentração ou pela prova. E não é que o Corretor Corredor conseguiu tirar uma bela foto minha! Valeu!!!


E também encontrei o grande amigo e Blogger Eduardo Acácio:

Fechada a prova, fomos no Stand da Tetrapak e lá acabei encontrando as minhas amigas de corridas de rua Tati e Claudia.
Agora começou a terceira parte: Pedalada. Saímos da USP e fomos em direção à Vila Olímpia  para tomar um café da manhã reforçado para os próximos KM’s. Rodamos boa parte da Ciclofaixa, e de quebra ainda encontramos outros amigos que estavam pedalando. Aliás foi um dia muito especial, pois justamente nesse domingo havia sido inaugurada a ciclofaixa da avenida paulista. Da VO fomos para o Ibirapuera, onde subimos a Abílio Diniz Soares para chegar à avenida mais famosa de São Paulo (SP, claro, porque a avenida mais conhecida nos últimos meses foi a Avenida Brasil #OiOiOi). E quase no pé da Paulista, eis que surge uma ligação no celular. Era a Angélica e família que já estavam a postos no MASP, inaugurando a pedalada nessa região. Pra ficar completo, só faltava o Marcos, que costuma fazer trajetos longos com sua Speed e não pôde ir nesse dia.
O resultado foi essa linda foto abaixo, no primeiro dia de funcionamento da Faixa:

Depois da Paulista, fomos parar na Cidade Universitária, foi quando notamos que já tinhamos rodado 37KM’s, e então era hora de voltar.
Voltamos para a VO, onde finalizamos com um belo lanche da tarde e fechamos o dia com 48KM de Pedal e 10KM de corrida.
Foi um dia muito especial, pois em cada trecho reencontrei bons amigos e revi pessoas queridas. Além disso foi nessa prova que iniciei o costume de ir de Bike e fazer a prova de corrida de rua. Há muito mais lembranças e momentos, mas não cabe aqui, pois quem corre sabe que a cada prova podemos escrever um livro de sensações, que não seriam expressas somente por palavras.

Maratona de São Paulo (25K)

Mais uma prova finalizada! 25K da Maratona de São Paulo. Uma das mais difíceis em relação ao trajeto (mas mudou bastante desde a última vez que eu fiz) e cravada na capital de SP, com largada na Ponte Estaiada (A ponte Octávio Frias de Oliveira) e chegada no Ibirapuera (Para que faz os 42K, para quem faz os 25K a chegada é na USP).
Ok, meus treinos não estão em dia. Tenho realizado apenas treinos durante os fins de semana, e agora dividindo os treinos com algumas pedaladas brutais pela cidade. Mas ainda assim estava condicionado para a prova.

Um pouco de frio e lá vamos nós. A largada na Ponte Estaiada é sempre uma linda imagem para quem inicia a prova. Subir e descer a ponte, e depois ver que ainda existe uma multidão atrás de você é mágico! E por ser uma corrida com patrocínio da rede Globo, o volume de corredores é muito grande, e você só consegue desenvolver uma velocidade melhor depois do terceiro KM. Como eu não estava focando em velocidade, fui a 5:40/KM em grande parte do percurso, e desta vez não tive câimbras, algo que me ataca com frequência em provas maiores que 18K.

Uma prova legal (para quem está bem treinado melhor ainda), sem contar com a animação da galera por todo o percurso e a garra e determinação dos corredores (tinha até um corredor arrastando um pneu de carro pelos 42K!). Que venham as próximas provas e mais KM´s. Como estou dando um intervalo nas corridas, minha próxima prova será 29 de Julho, na primeira edição da corrida Nipo-Brasileira.
さようなら!

Imagens da #USP

Estava devendo esse post há um tempão pra Lucia. Só fui fazer agora depois de quase 5 meses!

Algumas belas imagens capturadas pela Lucia nos treinos sabáticos realizados na USP em Janeiro de 2012:

Foto: Lucia Yoshie Sakurai

Foto: Lucia Yoshie Sakurai

Foto: Lucia Yoshie Sakurai

(Nessa foto eu me vejo com 80 anos correndo…rsrsrs)

Foto: Lucia Yoshie Sakurai

“MUITAS VEZES É MAIS IMPORTANTE
A VIAGEM DO QUE O LUGAR ONDE
SE QUER CHEGAR”

Depois eu faço um post mais elaborado sobre a USP no Runnaholics. Todos os créditos da foto acima são de propriedade de Lucia Yoshie Sakurai.

Loucos! É isto que nós somos (Meia Maratona Internacional da Corpore)

“Isso é para os loucos.. Os desajustados, os rebeldes, os encrenqueiros.. Os ‘peixes fora d’agua’.. Os que veem as coisas de maneira diferente…”

Não me canso de usar esse mantra, mas realmente, fazer uma meia sem o volume de treino necessário, realmente é coisa de louco. Tá certo, tô treinando toda semana, não estou sedentário, nada disso. Mas o grande problema é o volume do treino. Eu tava treinando em torno de 8 a 12K por fim de semana, com algumas semanas de Bike, mas para uma meia meu amigo, como eu já fiz há anos, é necessário um planejamento prévio e um volume bacana de treino, pois na hora que você está correndo, tudo vai depender da sua preparação e seu condicionamento.
Pois bem, eu e o Marcos nos inscrevemos  para essa que seria a minha primeira meia neste ano (Tem o circuito Athenas também). Mas parece que nem tudo foi como o planejado. No meu trabalho, a semana anterior foi pesada, com muita demanda e stress. Na faculdade também tínhamos vários trabalhos para entregar, e no sábado que antecedeu a corrida, eu não havia descansado, pois tinha levado minha mãe para viajar e cheguei às 22:00 do sábado em casa.
Some a isso as poucas horas de sono durante a semana e antes da prova e pronto: Você já tem um problema.
Cheguei umas 7:00AM no evento, mas pela primeira vez, vi problemas na organização da Corpore com relação à distribuição dos Kits. Havia uma fila enorme, e minha sorte é que o Shigueo já estava lá na fila para retirarmos nossa camiseta (O número de peito era a própria camiseta).
Acabamos largando com 20 minutos de atraso, pela demora na entrega.
Eu gosto das provas de meia maratona da Corpore pois eles colocam a largada para as 7:30 da manhã, o que ajuda bastante em relação ao Sol e outros fatores.
Acontece que eu tomei muito liquido durante a prova, e acabei não me sentindo bem a partir do 16ºKM. Avisei o Shigueo que não estava bem e ele seguiu em frente, e eu dei uma baixada no ritmo para ver se melhorava. Acontece que comecei a sentir calafrios, e posteriormente, câimbras (um velho problema meu), o que fez com que eu reduzisse consideravelmente o ritmo perto do final da prova.
Resumidamente foi isso o que ocorreu durante esta prova. Acabei levando mais de duas horas para fazer os 21KM´s e depois ainda fiquei por quase 1 hora descansando na USP para ver se melhorava e ia pra casa.
Podem até me perguntar: Você tá louco? E eu vou responder: Estou sim!

Às vezes nem tudo acontece da forma que queremos que aconteça. Muitas vezes você precisa de um pouco de loucura para que algumas coisas funcionem. Sendo assim, esta prova foi finalizada e a medalha está aqui junto com as outras 🙂
“Stay hungry, Stay foolish”

%d blogueiros gostam disto: