Arquivos do Blog

Livro CRASH – Alexandre Versignassi

61u0mf+cMjL

De forma descontraída o autor conta de forma muito divertida a história da economia, desde os primórdios da invensão da moeda e inflação até a crise imobiliária nos Estados Unidos em 2008. Muito interessante para quem gosta de Economia, História e aprender um pouco mais sobre o poder da tomada de decisão em momentos críticos. Terminei a leitura ontem e fiquei muito satisfeito com o conteúdo, bem escrito, fluído e conectando os capítulos ao decorrer da narrativa.

Principais tópicos: A inflação dos botões de tulipa na holanda, a origem da moeda e todos os tipos que já tivemos até hoje, histórias de roma, criação do mercado financeiro (desde a companhia Holandesa das índias ocidentais até Waren Buffet), apostas no mercado, bolhas ao decorrer dos séculos, inflação brasileira no século XX.

Anúncios

Dica de livro: Triggers

29982126[1]

Minha última leitura foi um livro para procurar melhorar minha atual visão de alguns acontecimentos. Todos na vida temos momentos de dúvidas, impressões se estamos no caminho certo ou algumas recaídas para o aborrecimento, stress e tristeza. O que este livro faz é fazer você pensar se isto realmente deve te preocupar, e que você mesmo pode consertar isto. Não caia no velho costume da maioria das pessoas de se vitimizar e achar que o mundo está contra você, pois só você pode mudar a forma de enxergar as coisas, afinal o ponto de vista é seu.

Parte 1: Porque não nos tornamos as pessoas que queremos ser?

Neste capítulo o autor inicia o estudo sobre o comportamento humano, e os fatores ambientais que contribuem para o status quo ou influenciam na suas decisões e comportamentos diários. Daqui tiramos duas verdades imutáveis:

  • Mudar o comportamento (de fato) é muito difícil
  • Ninguém vai nos mudar a não ser quer você esteja realmente afim de mudar

Neste capítulo o autor aborda também a importância de conhecer os gatilhos que encadeiam suas reações e entendê-los melhor. O Segundo capítulo fala sobre o ambiente e como contextos que você nem percebe podem fazê-lo tomar decisões que não necessariamente representam suas vontades. Voltando um pouco sobre os gatilhos, o autor comenta sobre a identificação dos gatilhos, que podem ser internos ou externos, direto ou indireto, conscientes ou inconscientes, antecipados ou inesperados, encorajadores ou desencorajadores, produtivos ou contraprodutivos. O Capítulo 6, ótimo para quem vive planejando a vida, ele discursa sobre a nossa falha humana em sermos ótimos planejadores e péssimos fazedores, e como aproximar cada vez mais o pensamento da prática, ouvindo sua equipe, pares, superiores e ir melhorando seus planos à medida que está em contato com o grupo.

Já no capítulo 8 o autor demonstra a roda a mudança, uma demonstração gráfica dos processos de Criar, Preservar, Eliminar e aceitar os processos de mudança e como agir em cada estágio, praticando o auto-conhecimento.

A parte 2 á dedicada ao tema “Tentar”, comentando sobre a importância das questões ativas, aquelas que te fazem pensar se o que você está fazendo tem sentido, ou é a melhor das formas de se fazer. Logo em seguida são apresentadas as questões de engajamento, que vão te ajudar na sua auto avaliação, e neste capítulo me chamou a atenção uma prática interessante que pretendo iniciar em breve: um pequeno checklist diário com questões engajadoras, para que você se lembre diariamente da pessoa que quer se tornar ou hábitos que vai deixando de fazer por causa da rotina. O capítulo seguinte ajuda fazer o acompanhamento, tabulando os resultados em forma de pontos e exemplificando uma auto avaliação e um exemplo real muito feliz de uma pessoa que mudou seus hábitos a partir desta prática.

A parte três do livro já é mais holística, abordando a estrutura como tema e recomendando sua auto-crítica de como você está inserido nela. É a estrutura que você precisa? É a melhor? Você pode melhorá-la? Sem estrutura, todo os esforços anteriores ficam muito mais difíceis de se fazer. O meio desta parte fala sobre tomar decisões sob pressão ou esgotamento, muito útil para você avaliar se está tomando as decisões no momento certo ou se uma estrutura que está influenciando você a tomar decisões não tão boas assim pode estar comprometendo suas escolhas.

A última parte do livro fala sobre não se arrepender, tomar as decisões corretas, coerentes, com todo o aprendizado dos capítulos anteriores e promover sua mudança comportamental para melhor, afim de criar o ciclo virtuoso do engajamento (Gatilho > Impulso > Conhecimento > Escolha > Comportamento e assim repetidamente). No resumo geral um livro interessante para lhe ajudar a se avaliar melhor durante a sua trajetória de vida, lhe relembrando de sempre se perguntar “como posso melhorar a cada dia?”.

Primeiros vícios de 2017: livros

unnamed

Tenho procurado algumas coisas para reorganizar a vida para 2017. Não, dessa vez não houve nenhuma desilusão, problemas mais sérios ou algum dano material. São apenas ajustes, momento em que procuro ler o momento, analisar para onde estou indo e fazer as revisões de coordenadas de rota para não cair em vacilos novamente. Dentro deste processo, vira e mexe me meto dentro de um shopping, e aí reside o perigo, pois não há shopping que não tenha livraria em São Paulo, e quando entro dentro… sempre saio com alguma coisa.

Kindle,Lev? Não, obrigado! Acho que estou ficando velho, ou simplesmente trabalho com tudo praticamente no digital que quero algumas coisas táteis da vida, como livros físicos. Eles são pesados sim, alguns grandes, outros com fontes pequenas e incômodos de carregar dependendo do lugar, mas me permitem entrar no flow de concentração que nenhuma mídia digital já fez.

Este ano diversifiquei um pouco mais em comparação com a série de livros do ano anterior, que eram muito mais focados em negócios e neurociência. A safra para o primeiro semestre tem um pouco de tudo: literatura (algo difícil de eu ler), comportamento, relacionamentos, negócios (não poderia faltar, hehe) e umas histórias de frente de livraria pra vender (chamados também de Sci-fi).

Bem, vamos aos títulos:

Kanji starter 1 – Comprei porque estou estudando Japonês na Aliança Cultural Brasil Japão, e decidi fazer um reforço este ano (junto com o Chinês). É um livro pictórico, bem simples, mas que ajuda a memorizar os Kanjis. Status: Ainda não lido

Going Solo: The extraordinary rise and surprising appeal of living alone – Esse livro já estava há uns bons anos no carrinho de compras do meu carrinho na Amazon, e resolvi compra-lo esse ano para ler. A sinopse é que este livro mostra que viver sozinho não é tão melancólico como costumamos achar: em um mundo moderno onde as pessoas migram para a cidade, decidem casar mais tarde e retardam a concepção de filhos, o autor descreve como as pessoas vem convivendo e se preparando para uma vida cada vez mais stand-alone. Status: Ainda não lido.

Crash – Historinha sobre economia. O autor deve descrever os principais acontecimentos econômicos da história como se fosse uma aula pré-vestibular. Muita informalidade, exemplificação e moral da história. Resolvi comprar também para tirar um pouco da tecnicalidade dos livros que li no ano anterior, que eram baseados em pesquisas científicas, estudos acadêmicos e aplicações práticas. Status: não lido.

Mapeamento e gestão por processos (BPM) – Esse aí achei bacana porque folheando em poucos momentos vi algumas conclusões que vão agregar profissionalmente, como sugestões de desenho de processos de negócio e como administrar demandas. Muito útil para quem trabalha em um ambiente com grande volatilidade, mudanças frequentes de estratégias e reestruturação de processos. Status: não lido.

Triggers: sparking positive change and making it last – Esse livrinho aparentemente me parece uma versão gringa de um mashup de Gustavo Cerbasi com augusto cury. Não tem nada de extraordinário que me chamou a atenção nele, a não ser pelo fato de trabalhar com idéias positivas para encarar o dia a dia e desafios. Status: não lido.

Localização (ainda) é tudo – Esse parece bacaninha pois trabalha com o hábito de consumo relacionado ao contexto geográfico. Daí dá para ir a uma infinidade de aplicações: pesquisa de mercado, sistemas geográficos, economia comportamental, inteligência de mercado e comportamento do consumidor. Estou apostando umas fichas que ele é pelo menos razoável. Status: não lido.

Customer Success: how innovative companies are reducing churn and growing recurring revenue – Esse aí foi (meio) roubada. Comprei com a intenção de aprimorar meus conhecimentos sobre o controle do churn (risco de perda de receita), mas acabei entrando em um livro muito mais direcionado para negócios cujo modelo são de assinaturas e receita contínua (como SaaS, sites, etc.). Apesar da primeira broxada, é o livro que estou lendo no momento e não vou desistir, até porque tem bons exemplos de como gerenciar a jornada do cliente, ativação por diversos canais e modelos de retenção e geração de valor (MRR, LTV e CLV). Status: lendo.

Não há dia fácil – Taí um livro difícil de eu ler: tipo historinha, com relatos de situações, etc. À primeira vista fiquei na dúvida, mas o tema me chamou muito a atenção: guerra, conflito, estratégia, derrotar inimigos. Eu já tinha assistido ao filme que foi feito após o livro, então resolvi arriscar. Curti: livro bacana, com um flow estratégico e que os detalhes deixam a narrativa bem rica. Conta a história da captura do terrorista Osama Bin Laden, desde a estratégia para invadir a residência onde ele estava até o pós-operação. Status: lido

Matéria escura – Esse útil inclusive eu comprei hoje enquanto estava passeando pelo shopping. Resolvi novamente dar uma chance para essas estórias que escrevem em livros. O que me chamou a atenção foi a chamada na contra-capa:  “Você é feliz com a vida que tem?”. O livro faz comparativos sobre as escolhas e se são escolhas ou não, no melhor estilo do paradoxo de Epicuro (o paradoxo da escolha).

Galera, esse é o resumo dos primeiros livros de 2017. Esporadicamente vou postando aqui caso ache algo interessante neles a ser compartilhado.

Várias noticias

img_1

Hoje recebi as últimas informações sobre a corrida do Aricandura. Os atletas podem optar por retirarem os kits no dia do evento ou nos dias 23 e 24 no próprio shopping (Na loja Deny Sports).

Além disso, há desconto de 10% em qualquer produto da loja do shopping que você vai retirar o Kit.

Logo abaixo está o comentário da corpore:

Os inscritos na 6ª Corrida Shopping Aricanduva Corpore terão duas opções de retirada de kits. A entrega será feita nos dias 23 e 24 de outubro na loja Deny Sports, no Shopping Aricanduva, das 10h às 22h.

Os que preferirem, poderão retirar no próprio dia do evento, 25 de outubro, na arena da prova a partir das 6h.

A direção da Deny Sports concederá desconto de 10% (por cento) em qualquer produto da loja do Shopping Aricanduva, localizada na Alameda São Mateus, número 128/130, exclusivamente para os corredores inscritos na 6ª Corrida Shopping Aricanduva que forem retirar o kit da corrida entre os dias 23 e 24 de outubro de 2009, no horário de funcionamento da loja. Desconto válido somente para os clientes inscritos na corrida. Desconto não cumulativo.

Somente será concedido o desconto de 10% (dez por cento) para os corredores que apresentarem a ficha de inscrição para a 6ª Corrida Shopping Aricanduva.

———————————————————

tit_eve_quemestainscrito 
Outra novidade bem legal que eu encontrei hoje no site da Corpore foi a consulta dos atletas inscritos no Evento e a possibilidade e enviar e-mail para eles. Essa é uma ferramenta muito legal para conhecermos mais e mais pessoas do esporte. A princípio só encontrei esta funcionalidade na corrida da Samsung até o momento.

———————————————————

Lembrei através do Blog do Rinaldo que na semana que vem o Jornalista Rodolfo Lucena vai lançar seu novo livro (+Corrida) no dia 28 na Livraria Cultura. Espero estar por lá para prestigiar o lançamento.

%d blogueiros gostam disto: