Retorno das aulas

Nada demais, só usei o título porque estava a caminho da faculdade. Neste semestre procuro alternativas a rotina.  Novos caminhos e formas diferentes de se fazer a mesma coisa. Como mudar os treinos? Eles só rolam no fds,  mas ainda assim vou tentar uma forma diferente de fazê-los. Preciso dividir mais o tempo com tudo e todos.  A experimentação de treinos  rigidos e matinais no fds me ajudaram a controlar alguns aspectos da vida social. Agora o grande segredo é balancear.
Voltei a jogar uns games no PC,  o q a essa altura é bom. Saí um pouco mais com os amigos no fds, afinal ninguém é de ferro. Passo mais tempo com minha mãe. Essencial. Ainda cabem outras tarefas na agenda.
A vida sem mochilas também me parece interessante,  visto que não somos cangurus. Isso também me faz sentir menos preocupado com pertences e aumenta a necessidade de viver com o mínimo possível.
A bike dobrável foi aquém das minhas expectativas,  mas cumpre o seu papel. Também pagar 3x menos que o preço de mercado literalmente tem o seu preço.

Agora o mais difícil de todos: o amor.

Não tá fácil encontrar uma garota que me interesse. Há alguns anos q isso vem acontecendo. Difícil querer alguém com os mesmos gostos que eu,  e eu imagino que está não será a melhor parceira também.  Sempre procuramos pessoas que nos completem, e nem sempre o mais do mesmo resolve essa questão. Algumas garotas apareceram.  Também não posso usar o álibi que nenhuma garota tenha se interessado pela minha pessoa.  O problema é que elas devem se interessar por alguns aspectos da minha personalidade,  e não por mim.
Quem sabe este ano ainda possa mudar minha derradeira visão sobre o amor e seus efeitos devastadores sobre os homens. Quem sabe…
No mais,  sigo em frente para a parte 2/2 de 2013.
Avante!

Realizei este post entre as estações Vila Olímpia e Paulista

Minha breve retrospectiva de 2012

Quem me conhece sabe que eu não sou de alongar muito a conversa. Prefiro ser bem sucinto nas minhas resoluções.
2012 (assim como 2011 e 2010) não foram anos muito bons para minha vida pessoal. Tive algumas perdas e mudanças profissionais que me tomaram um grande tempo em termos de adaptação e entendimento das situações.
O ano começou muito bem, prometendo várias provas e mais treinos do que o ano anterior (2011).
Participei de algumas provas (não muitas) e procurei manter a rotina dos treinos de final de semana.
No primeiro dia do ano, fiz um treino para cada KM do mês (12K). Lendo agora o que escrevi realmente acertei na previsão: O mundo já está ficando over de tanto ON por aí. A tendência é cada vez mais equilibrarmos o ON e o OFF. Este ano eu melhorei bastante em vista de como estava em 2011.
Estes treinos no primeiro dia do ano são sempre marcantes. Vale para começar bem o ano e enfrentar os novos desafios. Minha primeira prova foi a Corrida do aniversário de Santo Amaro, com bons amigos. Eis que surge algo que iria mudar o ano por inteiro: a perda de uma grande amiga que eu tinha, ocorrida dia 16 de maio deste ano. Iriamos correr a prova da tribuna com outros amigos, e depois que isto aconteceu, não tive pique para correr por lá.
Nos meses futuros a tristeza tomou conta da minha pessoa, fazendo com que eu reduzisse bastante o volume de treinos (pois estava mantendo a frequência justamente com a minha amiga, me incentivando a treinar mais também), e passei meses em um fase de tristeza e depressão.
Eis que procurei outra forma de praticar atividade física, pois momentaneamente a corrida me lembrava muito a manola, e assim voltei para uma paixão antiga, a bike. Foi assim que reencontrei um novo amor, uma prática complementar aos treinos de corrida que eu já fazia. E assim fui melhorando e superando a dor.
Foi quando, graças a grandes amigos, voltei a realizar os treinos e corridas. Posso dizer que neste ano dei uma reduzida na frequência de treinos, mas nunca desistirei e vou parar de correr, que é um amor verdadeiro.
Bem, se eu fosse escrever por tudo o que passei este ano, acho que, emocionalmente  o volume e turbilhão de coisas equivaleria a um post do tamanho da bíblia sagrada, então vou poupá-los de ler tudo isso e simplificar aqui pelo que passei. Ah, não relatei os acidentes de bike que sofri durante o ano, que me fizeram ganhar algumas cicatrizes, que pretendo fazer um post mais pra frente sobre as marcas de 2012.
Pois bem, misturando corrida com bike e emoções, cheguei ao fim do ano com a intenção de fazer 2013 muito melhor que este ano que passou.
Desejo a todos vocês uma excelente passagem de ano e um ano novo cheiro de atividades físicas, alegrias e fraternidade.
PS: No finalzinho do ano, amigos que fotografam me fizeram redescobrir um costume antigo meu (herdado pelo meu pai, que já foi repórter fotográfico alguns a muitos anos atrás): a fotografia. A mistura de fotografia com corrida, e bike, só em 2013 vocês vão saber no que vai dar =P
FELIZ 2013!