Medianeras (Como encontrar o amor se você não sabe onde ele está?)

Medianeras - Como encontrar o amor se não sabe onde está?

Medianeras – Como encontrar o amor se não sabe onde está?

Ontem escolhi um filme diferente para assistir. Nos últimos anos não tive muita paciência para assistir filmes sobre relacionamentos, mas este parecia bem interessante.

Medianeras é um filme argentino, que discursa sobre as relações sociais e os enlaces em tempos de relacionamentos virtuais e suas implicações, em uma metrópole caótica como Buenos Aires, os personagens veem em sua arquitetura uma analogia às relações sociais, como se o estilo arquitetônico e a mistura de estilos refletissem o sentimento da população que ali vive. Os protagonistas Martin e Mariana vivem no meio desta cidade, passando pelos sentimentos que alguns de nós também deve sentir em alguns momentos: solidão, carência, tristeza ou simplesmente um vazio.

Martin é um Jovem WebDesigner que passa boa parte do dia trabalhando em casa, sem muito contato com o mundo exterior. Sua namorada o deixou para viver nos Estados Unidos, e ele acabou ficando com o cachorro de estimação dela. Fora isso, o jovem não tem muitos relacionamentos ou uma vida social agitada. Encontros casuais com algumas mulheres por vezes preenchem o seu vazio por um curto espaço de tempo. Mas logo que começa a sentir afeição por elas, não consegue vê-las novamente.

Mariana é recém formada em arquitetura, mas trabalha como vitrinista pelas Lojas da cidade. Eventualmente conhece um homem ou outro, mas não consegue se apegar a nenhum deles. Seu último relacionamento a fazia se sentir “cada vez mais distante” como ela mesmo diz a certa altura do filme. Ainda assim, sente falta de uma companhia, alguém que possa lhe confortar nas noites silenciosas que passa em seu flat sem janelas.

O ponto central do filme é sobre a solidão urbana. Não a solidão cantada em romances e filmes blockbuster, mas a solidão muito mais próximas de nós que vivemos nas grandes cidades. Como o autor do filme (Gustavo Taretto) diz: “A solidão que sentimos quando estamos rodeados de desconhecidos”

Talvez você se pergunte: o que é “Medianeras” (Eu fiz esta pergunta pelo meu ínfimo conhecimento de espanhol)? Pois bem,  medianeras (ou pared medianera) é o nome dado as paredes sem janelas dos edifícios, também chamadas de paredes cegas. Geralmente, são as paredes laterais de um prédio, que, por sua proximidade com o edifício vizinho, não se pode “abrir janelas”. Muitas vezes, estes espaços são usados para afixar outdoors ou algum tipo de publicidade. O filme traça uma analogia muito boa com a falta de janelas em nossas vidas, e como a ausência o faz viver em um mundo fechado, mesmo que as melhores oportunidades de sua vida possam estar na mesma quadra em que você mora.

Gostei do filme, pois une três coisas que tenho convivido muito nos últimos anos: solidão, metrópoles e relações virtuais. Se você dispor de um tempo e quiser conhecer um filme com este tema, tenho certeza de que não se arrependerá de assisti-lo

Anúncios

Publicado em 6 de outubro de 2013, em Comportamento, Cultura e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: