Arquivo mensal: dezembro 2012

Minha breve retrospectiva de 2012

Quem me conhece sabe que eu não sou de alongar muito a conversa. Prefiro ser bem sucinto nas minhas resoluções.
2012 (assim como 2011 e 2010) não foram anos muito bons para minha vida pessoal. Tive algumas perdas e mudanças profissionais que me tomaram um grande tempo em termos de adaptação e entendimento das situações.
O ano começou muito bem, prometendo várias provas e mais treinos do que o ano anterior (2011).
Participei de algumas provas (não muitas) e procurei manter a rotina dos treinos de final de semana.
No primeiro dia do ano, fiz um treino para cada KM do mês (12K). Lendo agora o que escrevi realmente acertei na previsão: O mundo já está ficando over de tanto ON por aí. A tendência é cada vez mais equilibrarmos o ON e o OFF. Este ano eu melhorei bastante em vista de como estava em 2011.
Estes treinos no primeiro dia do ano são sempre marcantes. Vale para começar bem o ano e enfrentar os novos desafios. Minha primeira prova foi a Corrida do aniversário de Santo Amaro, com bons amigos. Eis que surge algo que iria mudar o ano por inteiro: a perda de uma grande amiga que eu tinha, ocorrida dia 16 de maio deste ano. Iriamos correr a prova da tribuna com outros amigos, e depois que isto aconteceu, não tive pique para correr por lá.
Nos meses futuros a tristeza tomou conta da minha pessoa, fazendo com que eu reduzisse bastante o volume de treinos (pois estava mantendo a frequência justamente com a minha amiga, me incentivando a treinar mais também), e passei meses em um fase de tristeza e depressão.
Eis que procurei outra forma de praticar atividade física, pois momentaneamente a corrida me lembrava muito a manola, e assim voltei para uma paixão antiga, a bike. Foi assim que reencontrei um novo amor, uma prática complementar aos treinos de corrida que eu já fazia. E assim fui melhorando e superando a dor.
Foi quando, graças a grandes amigos, voltei a realizar os treinos e corridas. Posso dizer que neste ano dei uma reduzida na frequência de treinos, mas nunca desistirei e vou parar de correr, que é um amor verdadeiro.
Bem, se eu fosse escrever por tudo o que passei este ano, acho que, emocionalmente  o volume e turbilhão de coisas equivaleria a um post do tamanho da bíblia sagrada, então vou poupá-los de ler tudo isso e simplificar aqui pelo que passei. Ah, não relatei os acidentes de bike que sofri durante o ano, que me fizeram ganhar algumas cicatrizes, que pretendo fazer um post mais pra frente sobre as marcas de 2012.
Pois bem, misturando corrida com bike e emoções, cheguei ao fim do ano com a intenção de fazer 2013 muito melhor que este ano que passou.
Desejo a todos vocês uma excelente passagem de ano e um ano novo cheiro de atividades físicas, alegrias e fraternidade.
PS: No finalzinho do ano, amigos que fotografam me fizeram redescobrir um costume antigo meu (herdado pelo meu pai, que já foi repórter fotográfico alguns a muitos anos atrás): a fotografia. A mistura de fotografia com corrida, e bike, só em 2013 vocês vão saber no que vai dar =P
FELIZ 2013!
Anúncios

Série Delta 2012 – Etapa Grécia – SP – 10K

Era pra ser só mais um diazinho de treino. Minha amiga Angélica havia me "convocado" para esta corrida, mesmo eu não estando inscrito, para acompanhá-la no evento. Ela costuma ir com o Pai dela também, apelidado de "Carlão", e iríamos nos encontrar lá próximo ao guarda volumes.
E no sábado à noite eu fiquei me perguntado: "Caraca, tem que gostar muito de corrida pra levantar cedo sem ao menos estar inscrito e correr na prova". Bem, pra mim isso não é problema (levantar cedo), pois me acostumei depois de anos treinando (Sendo o domingo o dia que eu acordo mais cedo para ir treinar).
Fui, levantei e me preparei para ir ao evento.

Leia mais »

Respirar corretamente durante a prática de atividade física

“Em corridas, uma boa dica é sincronizar o ritmo da respiração com o da passada. O Military.com recomenda a relação 3:2 para isso: inspirar em três passos (esquerda, direita, esquerda) e expirar em dois (direita, esquerda). Os benefícios, ainda segundo o site, são uma taxa cardíaca mais baixa, o que torna o exercício menos estafante. Outra dica, do Livestrong, diz para inspirarmos pelo nariz. Isso ajuda a ganhar ritmo e a estabilizar os batimentos cardíacos.”
Eu utilizo essas técnicas há alguns anos nas corridas, e realmente faz muita diferença. O cansaço diminui consideravelmente, e a performance durante a corrida é muito melhor do que não controlar nada.
Recebi essas dicas do meu sobrinho Daniel através do site da Red Bull.

%d blogueiros gostam disto: